Você Sabia que a Falta de Sal Mata Mais que o Excesso?

Tempo de leitura: 4 minutos

0 Flares 0 Flares ×

A diminuição da ingesta de sal causa mais doença do que o excesso de sal. É polêmico, é paradoxal, parece que estou na contramão do que dizem todos, de que tem que comer menos sal, mas de onde estou tirando tudo isso?

Tudo começou há décadas atrás com trabalhos científicos mal elaborados com conclusões erradas que apressadamente concluíram que o excesso de sal estava gerando mortes cardíacas em números maiores, isso ficou assim e ninguém trabalhou muito com isso. Em 1988, não muito longe, 52 centros de pesquisas analisaram o consumo de sal e de hipertensão e chegaram à conclusão de que a quantidade de sal de 14g a mais por dia não causava tanta morte quanto uma quantidade baixa de sal que era recomendado de 7g.

Em 2006 o jornal da associação americana fez um estudo com 78 milhões de americanos durante 14 anos e chegou a conclusão que excesso de sal tem menos risco cardíaco do que a falta de sal. Em seguida em 2011 foi feito um trabalho de meta análise e esse trabalho é um dos melhores trabalhos em ciência acompanhando 6250 pacientes. “Não há evidência de que cortar o sal reduz o risco de ataque cardíaco”.

O próprio Jornal da Associação dos Médicos diz que quanto menos sódio na urina, maior o risco de morrer do coração. A partir dai as coisas ficam bem claras. Nos Estados Unidos havia uma restrição severa de uso de sal. Recomendava-se que as pessoas não comecem mais de 2.300 miligramas de sódio, que equivale a 5 ou 6g de sal de cozinha que é o cloreto de sódio. Chegaram a dizer que tinham que comer no máximo 1.500 miligramas. Quando começaram a fazer estudos que mostravam diferente, por exemplo, um estudo de italianos, um grupo comeu 1.840 miligramas de sódio enquanto outro grupo comeu 2.700 miligramas. Houve muito mais mortes e internações no grupo que comeu menos sal.

Um estudo em seguida feito com 28 mil pacientes com pressão alta, mais de 55 anos. Um grupo comeu 3 mil miligramas de sódio e o outro grupo comeu 7 mil miligramas de sódio. Houve muito mais morte, ataque cardíaco, internações e avs no grupo que comeu menos sódio.

Sal de menos é muito mais agressivo do que sal de mais, mesmo para pacientes com pressão alta e insuficiência cardíaca congestiva. O risco é não comer sal em quantidade insuficiente.

Em janeiro de 2016 na Universidade de Chicago publicaram um trabalho com 800 pacientes em que acompanharam esses pacientes durante 3 anos com dieta baixa em sódio comparada com dieta sem restrição de sódio. Houve 42% mais de internados e mortes naqueles que fizeram a restrição de sal.

Quando estamos comendo um alimento sem sal o corpo começa a criar um processo de adaptação, pois ele precisa do sal para formar hormônios, tudo isso começa a afetar a homeostasia do corpo e ele começa a perder potássio, água, aumenta os triglicerídeos aumenta a insulina e tudo isso aumenta o risco cardíaco.

Então eu posso comer sal a vontade? Não é bem assim. Existem sais que são melhores que outros e outros não são tão bons. O sal do alimento processado é o pior que tem. Se você quer ter saúde, pretende  ter uma vida mais longa, que não tenha doença, que tenha um corpo sadio, que você tenha energia, que tenha disposição e que você exale saúde, pare de comer alimentos processados Tente diminuir ao máximo os produtos com químicas do seu corpo, tanto pela boca quanto pela pele e nariz (aromatizantes e etc.). O alimento processado é um veneno, ele muda todo o processo do alimento e adicionam muito sal e açúcar.

Retire os alimentos processados da tua alimentação.
Pare de utilizar o sal refinado. O sal refinado no processo industrial acaba sendo retirado quase todos os minerais dele. Esse sal tem que ser abolido da nossa dieta e tem que  incrementar o sal do Himalaia e o sal marinho (porém nossos mares estão muito contaminados hoje em dia e esse sal traz um pouco dessa contaminação, mas ainda assim é melhor que o refinado).  Dizem que o sal do Himalaia tem 88 nutrientes. Se você provar o sal comum e o sal do Himalaia perceberá diferença clara no gosto. Além disso você também encontra sal nos alimentos, feijão, abóbora, espinafre, brócolis e etc. Todos esses tem uma determinada quantidade de sal.

Se você tentar imaginar que os nossos ancestrais que viviam em épocas primordiais buscavam o sal que o corpo precisava no contato com a natureza, na caça, na pesca e nesses vegetais. Por isso não abuse, não coma sal a mais do que precisa, não exagere, mas coloque um pouco de sal, não tire todo o sal do alimento natural que você usa.

Com isso, garanto que você vai viver em um nível de saúde mais elevado, com essas dicas eu pretendo que você aplique gradativamente e possa conquistar uma supersaúde que é o que eu desejo a você.

7

5 Comentários


  1. Olá Dr. Uronal!
    Gostei muito do artigo, mas fiquei com uma dúvida em relação ao consumo de sal e a retenção de líquidos no corpo. O sal do himalaia por exemplo retém menos líquido ? E quanto ao iodo, também tem nesse sal?


  2. Olá Dr.

    Sou estudante de medicina, poderia citar as referências dos artigos científicos descritos no texto ??

    Muito Obrigado

Comentários encerrados.